Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021

Tema: Fraternidade e diálogo: compromisso de amor

A Campanha da Fraternidade nasceu em 1961, quando três padres responsáveis pela Cáritas Brasileira decidiram fazer uma campanha para arrecadar fundos para as atividades assistenciais da instituição, tornando a mesma, assim, autônoma financeiramente. A atividade foi chamada de Campanha de Fraternidade, realizada pela primeira vez na Quaresma de 1962, em Natal (RN). Dom Eugênio de Araújo Sales, presidente da Cáritas Brasileira e administrador apostólico de Natal, o que explica o nascimento da Campanha da Fraternidade no Rio Grande do Norte. Importante salientar do esquecimento social histórico naquela região, o que tornou essa campanha ainda mais precisa naquele momento. Em seu início, teve destaque a atuação do Secretariado Nacional de Ação Social da CNBB (Conselho Nacional dos Bispos do Brasil).
A partir de 1964, o projeto foi lançado em nível nacional, tendo sido impulsionado pelo significativo e valoroso Concílio Vaticano II, que foi fundamental para a concepção, estruturação e encaminhamentos da Campanha da Fraternidade. Em 1965, tanto a Cáritas quanto a Campanha da Fraternidade, foram vinculadas diretamente ao Secretariado Geral da CNBB.
A Campanha da Fraternidade, no decorrer dos anos, tocou em diversos temas, que são de profunda importância para a reflexão e ação dos cristãos/ãs e dos cidadãos/ãs brasileiros/as. A situação do Brasil, no que diz respeito a exclusão e a miséria levou a escolha de aspectos bem determinados da realidade socioeconômica e política brasileira, no decorrer dos anos. Em outros momentos tocou em diversas situações que causam sofrimento e morte, nem sempre percebidas por todos, visando a construção de uma sociedade mais democrática e solidária.
Neste ano de 2021 a Campanha da Fraternidade é Ecumênica, que é realizada nesta configuração a cada cinco anos, planejada em parceria com o CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil), com o tema: “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor” e o lema bíblico: “Cristo é a nossa paz. Do que era dividido, fez uma unidade” (Ef. 2,14).
A Campanha da Fraternidade de 2021 é uma oportunidade de reunir igrejas cristãs sob a premissa do diálogo, dando um testemunho de unidade na diversidade, tal como orientado por Jesus. O tema também vem de encontro com os muitos problemas que o Brasil vem presenciando, ligados ao extremismo político e religioso, que gera a intolerância que é irmã da violência.
Esta campanha, bem como, é um apelo aos cristãos/ãs e cidadãos/ãs do Brasil, para que haja um valioso e imprescindível diálogo, baseado no humanismo solidário e na ética cristã, tendo em vista a erradicação de qualquer tipo de banalização da vida humana e da nossa casa comum.

Professor Tiago Souza. Coordenador da Campanha da Fraternidade – Diocese de Itapeva. Membro da Cáritas Diocesana. Especialista em Filosofia e Direitos Humanos pela PUC/PR. Mestre em Educação, Comunidade e Movimentos Sociais pela Universidade Federal de São Carlos.

REFERÊNCIAS
CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Campanha da Fraternidade 2021: Texto-Base. Brasília: Edições CNBB, 2020.
CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL. Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil: 2019-2023. Brasília: Edições CNBB, 2019.