Espaço Vocacional – Santificação – o primeiro chamado

Não é difícil ouvirmos em nossas igrejas, seja em alguma reunião ou até mesmo na homilia do sacerdote, a palavrinha vocação. E ao ser questionado, você saberia explicar o real significado dela?

Vocação nada mais é que o chamado de Deus para nossas vidas, é o sonho que Ele traz no coração em relação a cada um de nós e a partir dessa semana, teremos esse espaço para nos aprofundar ainda mais sobre isso.

Pois não é tão simples quanto parece, discernirmos o que Deus espera da gente, muitos optam em ignorar o vazio que reina no peito, tentam preencher com situações mundanas, porém aquela voz mesmo sendo abafada, soa insistentemente dentro do peito.

Para compreender o que Deus quer que façamos, exige muita entrega de nossa parte, oração e docilidade ao Espírito Santo, para ouvi-lo claramente e respondê-lo com ardor.

Nossa Igreja é rica em pastorais, ministérios e movimentos, há muito a ser feito e é preciso pessoas dispostas, responsáveis, com verdadeiro dom para cada missão. Mas esse primeiro artigo, optei refletirmos o primeiro chamado de Deus para seu povo, que vai muito além de qualquer serviço prestado ou tempo doado.

Como o título já adiantou, nossa primeira vocação é a santidade. É para isso que Deus nos chama constantemente, a cada nova chance que Ele nos dá de abrir os olhos para um novo dia, é para que sejamos pessoas virtuosas, ricas em misericórdia e compaixão.

No início do Livro do Gênesis encontramos Deus criando o homem e a mulher a sua imagem e semelhança. E o que significa isso? Significa que fomos criados para sermos iguais ao Criador.

Se saíssemos por aí pedindo que as pessoas descrevessem Deus em apenas uma palavra, ouviríamos certamente algo do tipo; mansidão, piedade, esperança, partilha, justiça, liberdade…

São João Evangelista em uma de suas cartas, descreve Deus sendo o próprio Amor, então consequentemente nós também seríamos só amor, livres de sentimentos como egoísmo, inveja, avareza, entre outros…

Corremos o risco de pensar que pela desobediência de Adão e Eva, causando assim a expulsão deles do Paraíso, esse desejo inicial de Deus tenha mudado, no entanto não. Pois a encarnação de Jesus no ventre de Maria foi a maior prova que Deus não desistiu da humanidade. Não desistiu de mim, nem de você.

O profeta Jeremias diz que Deus nos chama pelo nome, que Ele nos conhecia antes mesmo de sermos gerados no ventre de nossas mães… Desde muito antes de termos conhecimento sobre Ele, esse já nos queria por perto e já nos amava com amor ágape.

Você já parou para pensar que você é fruto de um sonho lindo de Deus? Que cada pedacinho seu, foi milimetricamente pensado? Que igual a você, não há ninguém?

Por ser essa pessoa tão querida e amada pelo Pai, você não pode e nem deve se contentar com qualquer coisa, Deus te criou para o melhor, Jesus derramou seu sangue na cruz, te resgatou do vale da morte, para que tenhas vida e vida em abundância.

Você deve estar se perguntando como faço isso?

Deus é bondoso e compassivo sabe que somos seres limitados, sabe de nossas fraquezas e não espera que mudemos de uma hora para outra, Ele apenas deseja que nos conscientizemos da vida que levamos e que estejamos dispostos a renunciar tudo que nos afasta dEle.

Faz-se necessário que sejamos discípulos alertas em constante vigilância, com a consciência que a conversão não ocorre apenas uma vez e sim todas as vezes que vacilarmos.

Somos convidados a assumirmos nosso papel de herdeiros do Reino, para colocarmos em prática tudo que Jesus ensinou em sua passagem aqui na Terra. Que Ele então nos ilumine, nos dê a força necessária para vencermos nossas barreiras e que consigamos responder ao chamado com um verdadeiro entusiasmo. Amém.

  Daniele Nhasser (Assessoria de Comunicação da Pastoral Vocacional Diocesana)